Caminhos

Críticas   |       |    1 de julho de 2009    |    6 comentários

Domingo em casa

Foto: Divulgação

É um dia longo que termina. Um domingo que já virou segunda, cheio de novidades. Em Honduras, um golpe militar tirou um presidente do poder. Teve até cartinha falsa de renúncia.

É um domingo longo em que tentei diversas vezes escrever sobre Caminhos, texto de Rubens Rewald (que não tem nada a ver com o crítico de cinema meia bomba) agora em cartaz no CCSP, mas que já esteve no Sesi, CCJ e Viga (o da Capote Valente, nunca esqueço o nome da rua). E penso em como será a crítica em 2037.

Talvez nem haja mais crítica. Vai ser tudo migrado pro 9.0 e todos os pontos de vista possíveis serão dados por um algoritmo de algum computador quântico recém lançado.

Comentário da edição: aqui, acho que o leitor fica sem entender direito sobre o que você ta falando, quando começa a falar do torrent e esse memórias do sudesenvolvimento.

No torrent, Memórias do Subdesenvolvimento, e na fila dos filmes que já vi, Uma verdade inconveniente encabeça a lista (que é inconveniente para os americanos). Então, mais do tal do Rewald, pois é, tinha que ter o texto dele aqui. Que é mais ou menos isso. Mais menos do que mais. Um fluxo, estabelecido entre a criação dos atores e os pitacos do dramaturgo (é isso?). Ao mesmo tempo que é a peça mais textocêntrica ever, não se sente que o texto ocupa menos espaço do que deveria ter. E nem é por isso que guardo mais informações da dramaturgia (mesmo vendo três vezes). Mas falávamos do domingo.

Virge, o Brasil ganhou da América, de novo, de virada. E o Michael Jackson ainda não foi enterrado.E me lembro dos bailinhos que vão acontecer em José Bonifácio, onde tem um imitador do Michael Jackson. Toda cidadezinha do interior tem um imitador do Michael Jackson. Foi uma conquista política da década de 90, as prefeituras incentivaram. Pegou mal quando ele começou a se envolver com criancinhas, mas se você perguntar pros mais antigos, todos sabem quem era o imitador de Michael Jackson da sua cidade.

Ah, a peça. Pois bem, na terceira vez que vi, já no CCSP, ninguém queria ir embora. Ninguém seria mentira, teve uma moça que parecia estar com dor de cabeça. Chegou atrasada e saiu antes do fim. Duas outras moças choraram. Até agora não entendi o porquê, mas nunca entendo. E tocaram músicas novas. Tinham renovado os discos da coleção que era tocada no Sesi. E as pessoas pediram músicas no final. E ninguém queria ir embora. Digo isso porque você (que ainda não viu) também pode querer não ir embora e achar essa sensação estranha, mas é um direito seu ficar e ocupar aquele espacinho público do lado da 23 de maio. E pedir músicas (que os atores podem não colocar, porque afinal não são djs).

Tim Maia, Lia de Itamaracá, Dorival Caymmi, Cazuza, Lobão, Elis, Chico Buarque. Baixei tudo hoje. Não toca na peça. Falo do domingo, de novo. Entende, é isso que falta. De todas as apresentações, guardo uma sensação incomum de conforto, que acredito estar relacionada com uma projeção do texto num tempo vago, talvez no futuro, que não existe. E aí perdemos o hoje.

Da mesma maneira que souberam pescar angústias pessoais dos atores, o mesmo texto, grupo, dramaturgo, diretora, montagem, podem trabalhar com o hoje. Um hoje que se renova e que renova as falas. Um hoje político, como o encontro diverso proposto em Caminhos.

caminhos

É um domingo longo, que já foi, mas que reverbera.

5 bis

Ps: Talvez o hoje não seja tão poético. Talvez.

'6 comentários para “Caminhos”'
  1. Alves Ferreira disse:

    Quando assisti ao espetáculo, lá no CCSP, só três atores participavam. No site, diz-se que são seis. Na foto, também.

    Os atores têm dupla personalidade e eu não percebi?

  2. Do elenco original, que se apresentava no Sesi, só reconheci 3 pessoas. Mas também sou fraco nesse lance de reconhecer.
    Contei 4 atores no CCSP. É legal isso. Com 4, ou 6 pessoas, a peça é a mesma e não é também. Meio Gilberto Gil, isso.
    Abraço

  3. André Luís disse:

    acho o trabalho da Quito um saco…

  4. Juli disse:

    Que bom que você dividiu sua opinião com a gente, André.

    Bjos,
    Juli =)

  5. André Luís disse:

    de nada querida…
    caminhos deveria ser o que essa doce senhorinha chamada quito deveria seguir, para de se meter com dança mulher,

  6. Shigeru disse:

    Ole1 Bruno, estou interessada em cuosrs sobre tecnologias voltadas a educae7e3o.Vocea tem como me informar se este ano ire1 abrir alguma turma ou se ocurso je1 este1 em andamento?Parabe9ns, por compartilhar dicas interessantedssimas.Grata.Gleise

O que você acha?

A Bacante é Creative Commons. Alguns direitos reservados. Movida a Wordpress.